Os exchange-traded funds (ETF) podem ser uma componente valiosa para a carteira de um investidor, do gerente mais bem-sucedido ao investidor principiante. Alguns investidores fazem dos ETF a única prioridade da sua carteira e conseguem diversificá-la bastante com apenas alguns destes fundos. Outros os usam para completar as carteiras que já têm, implementando estratégias de investimento bem-sucedidas. Mas, à semelhança do que acontece com qualquer outra modalidade de investimento, para retirarem o máximo benefício dos ETF, os investidores têm que os compreender e usar de forma adequada.

É muito fácil compreender como funciona a maioria dos ETF. São transacionados como ações da bolsa e assemelham-se aos fundos de investimento. Seguem um índice subjacente, cujo desempenho devem replicar. As diferenças estruturais entre um ETF e um fundo mútuo nos permitem perceber parte das suas diferentes características em termos de investimento. As outras diferenças são explicadas pelo tipo de gestão de cada um. Os ETF têm como função acompanhar um índice, pelo que são considerados fundos geridos passivamente; a maior parte dos fundos de investimento são geridos ativamente.

Um fundo de índice ou um ETF que sigam o mesmo índice são investimentos equivalentes. Por exemplo, o desempenho do ETF SPDR S&P 500 e o de um fundo de índice de baixo custo que se baseie no SPDR S&P 500 são muito aproximados.

Embora os fundos de índice acompanhem a maior parte dos índices, os ETF acompanham uma panóplia ainda maior, proporcionando mais opções a quem investe no ETF do que a quem opta pelo fundo de índice.

Contexto

Os ETF são relativamente recentes, em comparação com os fundos de investimentos. Os primeiros ETF dos Estados Unidos foram criados pela State Street Global Advisors aquando do lançamento dos recibos de depósitos do S&P 500, também conhecidos como SPDRs (“spiders” – aranhas). Embora os primeiros ETF acompanhassem, tendencialmente, índices de mercado mais amplos, os ETF mais recentes foram concebidos para acompanhar setores, rendimentos fixos, investimentos globais, produtos e divisas.

Os ETF representam ações de propriedade de uma sociedade de investimento de capital variável que detém carteiras de ações, títulos, divisas ou produtos. Os ETF são, habitualmente, comparados com os fundos de financiamento.

- Assim como um fundo de financiamento, um ETF é uma estrutura de investimento que acumula os ativos dos seus investidores e recorre a gerentes profissionais para investir dinheiro e cumprir objetivos claramente estabelecidos, como o rendimento corrente e a valorização do ativo. Assim como um fundo de investimento, tem um prospeto. O ETF entrega um prospeto ao comprador final ou fornece aos investidores uma descrição do produto, na qual está resumida a informação essencial sobre o fundo.

- Quem investe em fundos de financiamento efetua compras ou reembolsos diretamente a partir do fundo, ao valor líquido do ativo, que é calculado no final de cada dia de operações. Um investidor que compre um ETF compra as ações em bolsa através de um processo idêntico à compra ou venda de quaisquer outras ações cotadas em bolsa. Embora a maior parte dos fundos de investimento seja geridos ativamente, há vários fundos de índice disponíveis. Embora a maioria dos ETF sejam geridos passivamente, tendo sido concebidos para acompanhar índices específicos, alguns ETF são geridos ativamente.

- Os processos de criação e reembolso de ações de ETF e de fundos de financiamento são praticamente opostos. Quando investem em fundos de financiamento, os investidores enviam dinheiro à empresa de gestão de fundos, que o usa para comprar títulos e emitir as ações adicionais do fundo. Quando os investidores querem resgatar as unidades de participação dos seus fundos de investimento, estas são reembolsadas à empresa de gestão de fundos de financiamento em troca de dinheiro. Por outro lado, não é necessário dinheiro para criar um ETF.

Criação

Os ETF são certificados de títulos que estabelecem o direito legal a uma fração do lote de certificados de ações individuais. Para criar um ETF no Estados Unidos, o gerente de fundos tem de enviar um plano detalhado à Securities and Exchange Commission - Comissão de Títulos e Câmbios (SEC). O plano deve descrever o conjunto de procedimentos e a composição do ETF.

Habitualmente, só as principais gerentes têm experiência com índices, podem criar e gerir ETF. Estas sociedades estão em contato com os grandes investidores e gestores de fundos de todo o mundo, que possuem conjunto de ações obrigatórias para a criação de um ETF. As empresas também criam procura através da angariação de clientes, institucionais ou de varejo, para comprar um ETF recém-criado.

A criação de um ETF começa oficialmente com um participante autorizado, também designado criador de mercado ou especialista em mercados. Trata-se de intermediários que reúnem o cabaz de ações indicado (habitualmente o suficiente para comprar entre 10 000 e 50 000 unidades de participação do ETF). O cabaz de ações é enviado para o banco depositário, que envia depois as unidades de participação do ETF ao criador de mercado para que ele as guarde. O tamanho mínimo para o cabaz de ações se chama unidade de criação.

Reembolso

Para reaver as suas participações, um participante autorizado compra um grande lote de ETF, envia-o ao banco depositário e recebe um cabaz equivalente de ações individuais. Estas ações podem depois ser vendidas em bolsa, embora normalmente sejam devolvidas à instituição que concedeu o empréstimo.

Em teoria, um investidor pode se desfazer de um ETF de duas formas:

  • Reembolsando o ETF, enviando as unidades de participação ao fundo ETF em troca das participações subjacentes; ou
  • Vendendo o ETF no mercado secundário.

Na prática, os investidores particulares optarão pela segunda hipótese. Devido às limitações impostas ao resgate das unidades de participação dos ETF, não podem ser considerados fundos de financiamento.

Arbitragem

Uma característica importante dos ETF é a possibilidade de se proceder a operações de arbitragem. Quando o preço de um ETF começa a se afastar do valor líquido do ativo das participações que o compõem, os participantes podem intervir e beneficiar com as diferenças. Se as participações dos ETF forem transacionadas a desconto para títulos subjacentes (um preço inferior ao valor líquido do ativo), os corretores de arbitragem compram participações de ETF no mercado aberto. Os corretores de arbitragem formam depois unidades de criação, reembolsam-nas ao banco depositário, recebem os títulos subjacentes e vendem-nos para obter lucro. Se as participações de ETF forem transacionadas a prêmio para títulos subjacentes (um preço superior ao valor líquido ativo), os corretores de arbitragem compram os títulos subjacentes no mercado aberto, resgatam-nos com unidades de criação e vendem as participações de ETF para obter lucro.

As ações dos corretores de arbitragem resultam em preços de ETF muito aproximados ao valor líquido do ativo dos títulos subjacentes.

Grupos de ETF mais populares

SPDR

Os Standard & Poor's Depositary Receipts (SPDR) são geridos pela State Street Global Advisors (SSgA). O SPDR mais popular é o SPDR S&P 500 EDF (SPY), mas a State Street Global Advisors tem também um conjunto de ETF que acompanham os principais setores do S&P 500. Se chamam Select Sector SPDR.

iShares

O grupo de ETF iShares foi registrado e é gerido pela Barclays Global Investors. De acordo com a Morgan Stanley, a Barclays é uma das maiores fornecedoras de ETF do mundo. Disponibiliza uma vasta panóplia de ETF para vários setores da indústria, rendimento fixo e produtos nos Estados Unidos e no resto do mundo.

VIPER

Os VIPER ETF são emitidos pela Vanguard, bastante conhecida pela sua oferta diversificada de fundos de índice. Os Vanguard Index Participation Receipts (VIPER) oferecem diferentes ETF, com uma vasta gama que vai desde o setor industrial geral e internacional aos ETF de títulos.

PowerShares

O grupo ETF das PowerShares é um fornecedor de ETF relativamente recente que oferece ETF de títulos de capital que representam o Mercado global, os setores da indústria e os índices internacionais, bem como o rendimento fixo, as divisas e os produtos. Este grupo, que oferece o popular QQQQ, ou Nasdaq 100 ETF, tem também vários ETF com base em critérios quantitativos, criados através de uma «indexação dinâmica» que procura constantemente as ações com melhor desempenho dentro de cada índice.

Leia também:
Por favor, descreva o erro
Fechar
Fechar
Obrigado pelo seu registo
Faça "curtir" a esta página para que a gente possa continuar a publicar artigos interessantes gratuitamente