Um contrato de futuros é um tipo de instrumento derivado, ou contrato financeiro, em que duas partes concordam em transacionar um conjunto de instrumentos financeiros ou produtos/bens físicos para entrega futura a um determinado preço. Se comprar um contrato de futuros, está basicamente concordando com a compra de algo que um vendedor ainda não produziu e por um determinado preço. No entanto, participar no mercado de futuros não significa, necessariamente, que será responsável por receber ou entregar grandes inventários de produtos físicos – lembre-se: os compradores e vendedores no mercado de futuros entram essencialmente em contratos de futuros para cobrir risco ou especular, em vez de para trocar bens físicos (a principal atividade do mercado à vista). É por isso que os futuros são usados como instrumentos financeiros não apenas pelos produtores e consumidores mas também pelos especuladores.

O mercado de futuros é um importante centro financeiro, fornecendo uma saída para intensa competição entre compradores e vendedores e, mais importante, fornecendo formas de gerir os riscos de preço. O mercado de futuros é extremamente líquido, arriscado e complexo por natureza – mas pode ser facilmente compreendido.

Embora os futuros não sejam para investidores avessos ao risco, são úteis para uma ampla gama de indivíduos. Neste tutorial irá aprender como é que o mercado de futuros funciona, quem usa futuros e quais as estratégias que o tornarão um trader bem-sucedido no mercado de futuros.

Como funciona o mercado

O mercado de futuros é um mercado centralizado para compradores e vendedores de todo o mundo que se encontram e envolvem em contratos de futuros. O preço pode ser baseado em um sistema de ordens por viva voz ou a oferta e procura podem ser combinadas eletronicamente. O contrato de futuros indica o preço que será pago e a data de entrega. No entanto, assim como mencionado antes, quase todos os contratos de futuros acabam sem a entrega física do produto em questão.

O que é, exatamente, um contrato de futuros?

Digamos, por exemplo, que decide subscrever televisão a cabo. Como comprador, entra em um acordo com uma empresa fornecedora do serviço por cabo para receber um número específico de canais por cabo a uma certo preço, todos os meses, ao longo do próximo ano. Este contrato, realizado com a empresa, é semelhante a um contrato de futuros – em que concorda em receber um produto numa data futura, com o preço e termos de entrega já definidos. Garantiu o preço para agora e para o próximo ano – mesmo que o preço venha a subir durante o período de vigência do contrato. Ao entrar em acordo com a empresa por cabo, reduz o risco de enfrentar preços superiores.

É assim que o mercado de futuros funciona. No entanto, em vez de se tratar de uma fornecedora de canais por cabo, poderá se tratar de um produtor de trigo a tentar assegurar um preço de venda para a colheita do próximo ano, enquanto um produtor de pão poderá querer garantir um preço de compra para determinar quanto pão poderá ser produzido e com que lucro. Assim, o agricultor e o produtor de pão poderão celebrar um contrato de futuros que exija a entrega de 5.000 alqueires de grão de trigo ao comprador, em junho, a 4 dólares o alqueire. Ao entrar neste contrato de futuros, o agricultor e o produtor de pão garantem um preço que ambas as partes acreditam ser justo em junho. É este contrato – e não o grão de trigo em si – que pode ser comprado e vendido no mercado de futuros.

Assim, um contrato de futuros é um acordo entre duas partes: uma posição curta – a parte que concorda entregar o produto – e uma posição longa – a parte que concorda receber o produto. No cenário apresentado acima, o agricultor é o detentor da posição curta (concordando com a venda) enquanto o produtor de pão é o detentor da posição longa (concordando com a compra). Vamos falar mais sobre as perspetivas das posições longa e curta na secção sobre estratégias – por agora é importante que saiba que cada contrato envolve ambas as posições.

Tudo é especificado em cada contrato de futuros: a quantidade e qualidade do produto, o preço específico por unidade e a data e método de entrega. O “preço” de um contrato de futuros é representado pelo preço acordado quanto ao produto subjacente ou instrumento financeiro que será entregue no futuro. Por exemplo: no cenário acima mencionado, o preço do contrato é de 5.000 alqueires de grão de trigo a 4 dólares por alqueire.

Ganhos e Perdas – liquidação financeira

Os ganhos e perdas de um contrato de futuros dependem dos movimentos diários do mercado em relação a esse contrato e são calculados em uma base diária. Digamos, por exemplo, que os contratos de futuros para o trigo aumentam para 5 dólares por alqueire um dia após o agricultor e o produtor de pão terem celebrado o seu contrato de futuros a 4 dólares por alqueire. O agricultor, enquanto detentor da posição curta, perde 1 dólar por alqueire pois o preço de venda aumentou frente ao preço de futuro a que é obrigado a vender o seu trigo. O produtor de pão, na posição longa, lucra na ordem de 1 dólar por alqueire pois o preço que está obrigado a pagar é inferior ao que o resto do mercado é obrigado a pagar.

No dia em que a alteração ocorre, são debitados na conta do agricultor 5.000 dólares (1 dólar por alqueire x 5.000 alqueires) e creditados na conta do produtor de pão 5.000 dólares (1 dólar por alqueire x 5.000 alqueires). À medida que o mercado se move diariamente, este tipo de ajustes são realizados em conformidade. Ao contrário do verificado no mercado de ações, as posições de futuros são definidas em uma base diária, o que significa que os ganhos e perdas de um dia de negociação são debitados ou creditados nas respetivas contas a cada dia. No mercado de ações, os ganhos e perdas de capital por movimentação de preços não são efetivados até o investidor decidir vender a ação para cobrir a sua posição curta.

Como as contas das partes envolvidas nos contratos de futuros são ajustadas diariamente, a maioria das transações no mercado de futuros é liquidada em dinheiro – e o produto físico real é comprado ou vendido no mercado à vista. Os preços no mercado à vista e de futuros tendem a se mover em paralelo e quando um contrato de futuros expira, os preços se fundem em um preço. Assim, na data em que cada parte decide encerrar a sua posição de futuros, o contrato é liquidado. Se tiver sido definido a 5 dólares por alqueire, o agricultor perde 5.000 dólares no contrato de futuros e o produtor de pão ganha 5.000 dólares com o contrato.

No entanto, após a liquidação do contrato de futuros, o produtor de pão ainda precisa de trigo para fazer o seu pão – logo, irá comprar trigo no mercado à vista por 5 dólares o alqueire (um total de 25.000 dólares) pois é esse o preço do trigo no mercado à vista. No entanto, tecnicamente, os lucros de futuros do produtor de pão – 5.000 dólares – são aplicados à sua compra, o que significa que ainda paga o preço-bloqueado de 4 dólares o alqueire (25.000 dólares – 5.000 dólares = 20.000 dólares). O agricultor, depois de encerrar o contrato, pode vender o seu trigo no mercado à vista por 5 dólares o alqueire – no entanto, devido às suas perdas no contrato de futuros com o produtor de pão, o agricultor recebe apenas 4 dólares por alqueire. Por outras palavras, a perda do agricultor no contrato de futuros é compensada pelo preço de venda mais elevado no mercado à vista – o que é designado como cobertura de risco (hedging).

Agora que vê que um contrato de futuros é mais como uma posição financeira pode também ver que as duas partes no contrato de futuros ao redor do trigo poderiam ser dois especuladores em vez de um agricultor e um produtor de pão. Nesse caso, o especulador na posição curta teria perdido 5.000 dólares enquanto o especulador na posição longa teria ganho essa quantia. Por outras palavras, nenhum teria que ir ao mercado à vista para comprar ou vender o produto depois do contrato expirar.

Importância econômica do mercado de futuros

O mercado de futuros é altamente ativo e central para o mercado global, surgindo como uma boa fonte de informação vital e de indicadores de sentimento.

Determinação de preços: devido à sua natureza altamente competitiva, o mercado de futuros se tornou uma importante ferramenta econômica para determinar preços tendo por base a quantia estimada de oferta e procura de hoje e amanhã. Os preços do mercado de futuros dependem de um fluxo contínuo de informação e exigem uma grande quantidade de transparência. Fatores como o clima, a guerra, o incumprimento de dívida, o deslocamento de refugiados, a recuperação de terras ou a desflorestação têm um grande efeito na oferta e demanda e, como resultado, no preço atual e futuro de um produto. Este tipo de informação e a forma como as pessoas a absorvem muda constantemente o preço de um produto. Este processo é conhecido como determinação de preço.

Redução de risco: os mercados de futuros são também procurados para a redução de risco. Os riscos são reduzidos pois o preço é pré-definido, permitindo aos participantes saber de quanto irão precisar para comprar ou vender. Isto ajuda a reduzir o custo final para o comprador pois com menos risco existe menor chance de os produtores subirem os preços para compensar perdas no mercado à vista.

Leia também:
Por favor, descreva o erro
Fechar
Fechar
Obrigado pelo seu registo
Faça "curtir" a esta página para que a gente possa continuar a publicar artigos interessantes gratuitamente