O value trading se baseia nas ideias iniciadas por Ben Graham e David Dodd na Columbia Business School em 1928. Existem muitas interpretações do que value trading é mas o conceito básico é o seguinte:

Um value trader pretende, essencialmente, comprar ações a desconto frente ao valor intrínseco. Assim, se o preço das ações de determinada empresa for inferior ao valor intrínseco por uma “margem de segurança” (normalmente ao redor de 30% do valor intrínseco) então a empresa está subvalorizada e vale a pena investir nela. Geralmente, as ações de valor correspondem a empresas que estão em declínio – sendo que o mercado exagerou em relação à sua situação e as ações estão sendo negociadas abaixo do seu valor intrínseco.

Assim, um value trader procura assistência de analistas financeiros, estatísticos, macro-economistas, economistas focados no setor em questão, profissionais do mercado, contabilistas, engenheiros, cientistas, programadores, bibliotecários e assistentes de pesquisa.

Não são muitos os líderes que se tornam value traders pois é necessária uma grande quantidade de esforço para que as negociações funcionem. O objetivo de um value trader é fazer dinheiro com ações baratas – o que é mais difícil do que parece e pode levar anos.

Consequentemente, as recompensas de longo prazo não vão para aqueles que pensam que o value investing é fácil. Os retornos superiores só podem ser obtidos por aqueles que sabem que é difícil – e se deixam ficar.

O value trader, talvez mais do que qualquer outro tipo de trader, está mais preocupado com o negócio e os seus fundamentos do que com outras influências sobre o preço da ação.

Os fundamentos, como o crescimento dos lucros, dividendos, fluxo de caixa e valor contabilístico são mais importantes do que fatores de mercado sobre o preço da ação. Os value traders também podem ser classificados como investidores buy and hold na medida em que permanecem com uma empresa para o longo prazo.

Se os fundamentos forem sólidos mas o preço da ação se encontrar abaixo do seu valor óbvio, o value trader sabe que se trata de uma provável candidata a investimento. O mercado valorizou a ação incorretamente. Quando o mercado corrigir o erro, o preço da ação deverá experienciar um bom aumento.

Diretrizes do value trading

Seguem algumas orientações que os value traders procuram em um potencial investimento. Os investidores devem se contentar com uma fórmula que funcione para os mesmos – que irá, provavelmente, incluir um mínimo dos elementos que se seguem:

  • Um rácio preço/lucro (P/L) nos 10% inferiores do seu setor;
  • Um PEG de menos de um. Um PEG (P/E growth of earnings) de menos de um pode indicador que a ação está subvalorizada.
  • Um coeficiente de endividamento (debt to equity ratio) de menos de um.
  • Forte crescimento de lucros por um período prolongado. Um número realista pode se encontrar no intervalo 6%-8% ao longo de sete a 10 anos.
  • Um rácio preço/valor contabilístico de um ou menos.
  • Não pagar mais do que 60%-70% do valor intrínseco da ação como preço da ação.

Encontrar value trades

Para encontrar ações verdadeiramente subvalorizadas, os investidores de valor seguem um processo de três etapas:

  1. Classificam as ações por preço/lucros (P/L) ou outra métrica e se concentram nas ações com menor P/L. Este passo permite que os investidores de valor reduzam o número de ações que irão examinar mais de perto e ao mesmo tempo identifiquem ações potencialmente subvalorizadas (ao se focarem nas ações com P/L mais baixo).
  2. De seguida, os investidores de valor avaliam individualmente cada uma das ações com baixo P/L para perceber quais das ações estão realmente subvalorizadas. Uma ação poderá ter um P/L baixo por ser uma má ação. A única forma de diferenciar o bom do mau passa por avaliar todas as ações do grupo de P/L baixo.
  3. O passo final no processo de value investing compara o valor intrínseco de cada ação ao preço de mercado. Se o preço da ação for inferior ao valor intrínseco por uma quantia superior à “margem de segurança” (normalmente ao redor de 30% do valor intrínseco) a ação é considerada verdadeiramente subvalorizada e poderá valer a pena investir.

Conclusão

Embora possam existir oportunidades para value investing, o value trader tem de ser cauteloso com negócios que parecem estar em declínio lento. Com a taxa de adoção de tecnologia acelerando, a internet como forma de vida e o software a consumir o mundo, as empresas que se recusam a se adaptar não só caem lentamente – como caem de um penhasco e levam o seu fluxo de caixa com elas.

No entanto, muitos value traders fizeram fortunas usando uma abordagem baseada no valor, o que sugere que se trata de uma filosofia que funciona ao longo do tempo (com cuidado e para o longo prazo).

Leia também:
Por favor, descreva o erro
Fechar
Fechar
Obrigado pelo seu registo
Faça "curtir" a esta página para que a gente possa continuar a publicar artigos interessantes gratuitamente