Milhares se reuniram na capital venezuelana para grande protesto
AP Photo/Ariana Cubillos
Página principal Síntese, China, EUA, Irão, Coreia do Norte, Donald Trump

As principais notícias do dia, uma seleção da redação do Insider.pro

Protestos em Caracas resultaram em duas mortes

Multidões marcharam em Caracas para exigir o afastamento do presidente Nicolás Maduro, com o país sofrendo de uma recessão tão severa que os cidadãos encaram escassez crônica de alimentos. No meio do protesto surgiram violentos confrontos entre manifestantes e tropas do governo, que resultaram em duas mortes ao anoitecer.

Donald Trump se encontra com primeiro-ministro italiano

Paolo Gentiloni visita a Casa Branca para discutir a próxima cimeira do G7 na Sicília, na Itália – que representará a primeira viagem do presidente dos EUA ao exterior.

China lança primeira nave espacial de carga

A Tianzhou-1, não tripulada, decola hoje às 19:41 hora local a partir do Wenchang Satellite Launch Centre. A mesma foi projetada para reabastecer a estação espacial chinesa, programada para estar permanentemente tripulada até 2022.

Austrália tornou mais difícil o acesso a cidadania australiana

Candidatos à cidadania irão realizar um teste para avaliar a sua integração na comunidade local e compromisso com liberdade religiosa e igualdade de gênero. A duração da residência permanente exigida para se obter cidadania também foi aumentada, de um para quatro anos. As alterações surgem dois dias depois do primeiro-ministro Malcolm Turnbull ter anunciado limitações à concessão de vistos a trabalhadores estrangeiros.

Rex Tillerson assume posição dura em relação ao Irã

Horas depois do Departamento de Estado ter confirmado que o Irã se encontra cumprindo as restrições definidas para o seu programa nuclear, o Secretário de Estado realizou uma conferência de imprensa e disse aos jornalistas que o acordo “falha a alcançar o objetivo de um Irã não-nuclear.” Acrescentou que a administração está considerando adicionar a Coreia do Norte à sua lista de países “patrocinadores” de terror, na esperança de estimular o envolvimento de Pyongyang com Washington.

Exxon solicitou possibilidade de trabalhar na Rússia

A gigante petrolífera (NYSE: Exxon Mobil Corporation [XOM]) se encontra, alegadamente, em busca de autorização do Departamento do Tesouro dos EUA que permita que perfure no Mar Negro – em busca de petróleo – e que mantenha a sua relação com a empresa estatal russa Rosneft. O Secretário de Estado dos EUA, Rex Tillerson – antigo CEO da Exxon, que ajudou a criar a parceria – se recusou a estar envolvido na decisão.

Calendário Econômico

  • 09:30 (USD) Índice de Atividade Industrial Fed Filadélfia (Abr)
  • 12:30 (GBP) Discurso de Carney, Gov do BoE
  • 13:30 (GBP) Discurso de Carney, Gov do BoE
Leia também:

Хотите узнать больше о гражданстве за инвестиции? Оставьте свой адрес, и мы пришлем вам подробный гайд

Por favor, descreva o erro
Fechar
Fechar
Obrigado pelo seu registo
Faça "curtir" a esta página para que a gente possa continuar a publicar artigos interessantes gratuitamente