“Os problemas de Portugal não acabaram. Estão piores.” – Commerzbank
AP Photo/Michael Probst
Página principal Síntese, Google, EUA, Irão, Coreia do Norte, Portugal, Donald Trump

As principais notícias do dia, uma seleção da redação do Insider.pro

Commerzbank: a economia portuguesa está se tornando menos competitiva

Em nota enviada aos seus clientes, o economista Ralph Solveen do Commerzbank – o segundo maior banco comercial da Alemanha e um dos bancos mais influentes no mercado de dívida europeu – contextualizou a situação de Portugal (que foi recentemente retirado da categoria lixo pela agência de rating S&P) avançando que os problemas do país não terminaram: a economia está menos competitiva e o país está regressando “à tendência pouco saudável de antes da crise”.

Donald Trump, Moon Jae-in e Shinzo Abe se encontram hoje

Os líderes dos EUA, Coreia do Sul e Japão irão reunir à margem da Assembleia Geral das Nações Unidas para discutir o programa nuclear da Coreia do Norte. O encontro trilateral surge no seguimento de comentários extravagantes por parte de Donald Trump ontem – o líder ameaçou “destruir totalmente” a Coreia do Norte.

Banco da África do Sul poderá reduzir taxas novamente

Analistas esperam que o banco central da África do Sul reduza as taxas de juros pela segunda vez este ano para estimular a economia – que, além de se encontrar saindo de recessão sentida no segundo trimestre, está lidando com queda de investimento estrangeiro e turbulência política.

Banco do Japão tomou decisão política

O banco central do Japão não alterou a sua política monetária, com a inflação se mantendo abaixo do objetivo de 2% (mesmo com a economia mostrando sinais contínuos de crescimento). A economia do Japão cresceu por seis trimestres consecutivos, o mais longo crescimento desde 2006.

Porto Rico devastado após passagem do furacão Maria

Toda a ilha do Caribe ficou sem energia depois da tempestade de categoria 4 ter alcançado terra com ventos de 250 km/h. Se trata do mais forte furacão atingindo território dos EUA desde 1928. A tempestade segue agora para as ilhas Turcas e Caicos e Bahamas.

HTC e Google chegaram a acordo

A unidade da Alphabet (NASDAQ: GOOGL) avançou que irá pagar 1,1 bilhões de dólares por parte das operações do segmento de smartphones da HTC. O acordo permite que a empresa de Taiwan, cujas vendas de smartphones se encontram há muito em queda, se foque no seu segmento de realidade virtual.

ONU foi palco de conversações tensas entre os EUA e o Irã

O Secretário de Estado dos EUA, Rex Tillerson, e o ministro dos Negócios Exteriores do Irã, Javad Zarif, se encontraram com as nações-membro do acordo nuclear com o Irã celebrado em 2015. A UE avançou que está comprometida com a manutenção do acordo mas Tillerson afirmou que o Irã ainda representa uma “séria ameaça” para a região e que Trump ainda não partilhou com ninguém a sua decisão quanto ao acordo.

Nicarágua concordou com adesão ao acordo de Paris

Com a decisão, os EUA e a Síria passam sendo os únicos países do mundo fora do pacto. Daniel Ortega, presidente da Nicarágua, tinha começado por rejeitar o acordo no passado pois considerava que este não ia longe o suficiente.

Calendário Econômico

  • 03:30 (JPY) Coletiva de Imprensa do BoJ
  • 09:00 (BRL) IPCA-15 (Mensal) (Set)
  • 09:00 (BRL) IPCA-15 (Anual) (Set)
  • 09:30 (USD) Índice de Atividade Industrial Fed Filadélfia (Set)
  • 10:30 (EUR) Discurso de Draghi, Presidente do BCE
Leia também:

Хотите узнать больше о гражданстве за инвестиции? Оставьте свой адрес, и мы пришлем вам подробный гайд

Por favor, descreva o erro
Fechar
Fechar
Obrigado pelo seu registo
Faça "curtir" a esta página para que a gente possa continuar a publicar artigos interessantes gratuitamente